Imprimir
Categoria: Futuro
Visualizações: 175
Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A fabricante chinesa apresentou a sua nova televisão topo de gama: a Laser TV de 100 polegadas, assente em emissão de luz laser.

Novos televisores da Hisense: uma (grande) janela para o futuro

A Hisense apresentou esta manhã, em Madrid, a sua nova gama de televisores que compõem o alinhamento de 2018, nas gamas branca e castanha. O destaque foi para o novo topo de gama da empresa chinesa, a Hisense Laser TV com um ecrã de 100 polegadas, ostentando uma moldura ultrafina, desenhada para ser um objeto elegante na parede das salas de estar.

Embora não tenha entrado em detalhes técnicos profundos, foram mencionadas algumas características gerais da Hisense Laser TV: imagem a 4K nativa, compatibilidade HDR, som DBX-TV, tecnologia Pure Color e Smooth Motion e projeção de luz laser X-Fusion.

A televisão apresenta uma tecnologia patenteada pela empresa, baseada em fonte de luz através de laser, para imagens mais nítidas, segundo assegura a fabricante. O televisor é composto por três elementos: a moldura, que deverá ser afixada na parede, a caixa de processamento, encarregue de enviar a luz laser para o ecrã e uma coluna JBL, numa parceria com um dos principais fabricantes de soluções áudio. O sistema afasta-se das soluções típicas dos projetos, que perdem qualidade de imagem ao não obterem os 4K nativos que a Laser TV oferece. Além disso, a duração da iluminação de um projetor convencional ronda as 10 mil horas, enquanto a tecnologia da Hisense ronda as 40-50 mil horas, o equivalente à duração de vida típica das televisões normais.

A Hisense refere que o peso diminuto do ecrã facilita a sua instalação em uma das paredes da sala de estar, mas conforme explicou Michael Luo, responsável pela divisão Ibérica ao SAPO TEK, o sistema não é fácil de montar em casa. Isto porque o alinhamento da caixa de processamento e o ecrã tem de ser perfeito, caso contrário perde-se qualidade de imagem. A primeira instalação deverá ser feita por um técnico qualificado, colocando a caixa num móvel ligeiramente abaixo do ecrã. “Não é fácil montar, mas o sistema oferece um guia de calibração e com a experiência os utilizadores vão aprendendo a afinar a imagem, mas é complicado”, referiu Michael Luo. E sim, isto significa que um ligeiro desvio da caixa é o suficiente para perder a qualidade de imagem proposta, ou seja, cuidado na hora de limpar o pó ao sistema de luxo.

A empresa afirma que a experiência audiovisual é muito próxima a uma sala de cinema, combinando imagem e som premium. A interface da televisão é personalizável e intuitiva, tendo sido desenvolvida pela Hisense VIDAA U, que poderá servir como porta de entrada aos já indispensáveis widgets e serviços online, como o Netflix, Amazon Prime, Pandora, TikiLive, YouTube e outros.

Embora tenha sido apresentada na nova Laser TV de 100 polegadas, a tecnologia vai ser utilizada em televisões iguais ou superiores a 65 polegadas da marca.

O evento contou com a presença do ex-futebolista português Luís Figo, embaixador da marca Hisense, na estratégia de marketing da empresa para o Mundial de Futebol que decorre na Rússia, que surgiu em palco vestido de astronauta, como símbolo do futuro da tecnologia.

Em declaração ao SAPO TEK, Figo referiu que “a qualidade de imagem da televisão promete uma experiência autêntica, uma qualidade de imagem o mais próximo possível da presença num estádio”, e respondendo à pergunta de quem gostaria de estar de ver na final: Portugal-Espanha, pois claro.