Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Característica do sódio explica fenômeno.

Nuvens são formadas quando vapor de água se junta a partículas em altas atitudes (Foto: Carlos Brito/G1)

Achado em atmosfera do WASP-96b foi publicado na revista 'Nature' desta segunda-feira (7). Pesquisadores estudavam exoplanetas -- aqueles localizados fora do nosso sistema solar.

Uma equipe internacional de astrônomos encontrou indícios de que não há nuvem em um dos planetas de fora do nosso sistema solar: o WASP-96b. A pista para o achado foi dada pela característica do sódio na atmosfera do planeta, que impediria a formação das nuvens. Todos os detalhes da pesquisa foram publicados na prestigiada "Nature" nesta segunda-feira (7).

Os cientistas explicam que, assim como as impressões digitais de um indivíduo são únicas, também os jatos e moléculas de substâncias têm impressões que permitem que compostos sejam localizados em outros planetas. Foi assim que eles chegaram ao sódio do WASP-96b.

Nos cálculos feitos pelos pesquisadores, o sódio presente na atmosfera do WASP-96b tem uma "impressão digital" que impede a absorção do vapor de água -- reação necessária para a formação de nuvens.

As nuvens se formam quando o vapor de água presente na atmosfera se junta a partículas de sódio e de poeira. A reação é mediada pelo ar mais frio de altitudes mais altas. Grosso modo, nuvens são gotículas de água e de gelo que ficam grudadas nessas partículas.

"Ao observar todas as atmosferas dos exoplanetas, obteremos uma melhor compreensão sobre a formação das nuvens", explica Jonathan Fortney, coautor do estudo, e professor da Universidade da Califórnia (EUA).

O estudo foi feito por uma equipe internacional de astrônomos liderada por Nikolay Nikolov, da Universidade de Exeter, no Reino Unido. O planeta foi observado usando o "Very Large Telescope"; localizado no Chile, o instrumento é considerado hoje o telescópio mais avançado do mundo.

Planeta tem massa semelhante a de Saturno

Os astrônomos conseguiram examinar a atmosfera do planeta quando ele passou passou na frente de estrela similar ao Sol (veja vídeo acima). Essa passagem permitiu que os pesquisadores investigassem sua atmosfera. A partir dessa análise, eles chegaram à conclusão que as características do sódio contribui para que menos nuvens se formem.

Os cientistas explicam que o sódio é o sétimo elemento mais comum no universo. Na Terra, compostos de sódio como o sal dão à água do mar seu sabor salgado. Na vida animal, o sódio é conhecido por regular a atividade cardíaca e o metabolismo.

Já o planeta WASP-96b tem massa semelhante a Saturno e excede o tamanho de Júpiter em 20%. O WASP-96b orbita uma estrela semelhante ao sol, localizada a 980 anos-luz de distância. Até chegar na formação do planeta, os cientistas estavam estudando outros 20 exoplanetas (que ficam fora do sistema solar).

"O estudo do WASP-96b vai provavelmente nos proporcionar uma visão única para determinar a quantidade de outras moléculas, como a água e o dióxido de carbono", disse Ernst de Mooji, coautor do estudo e pesquisador da Universidade da Cidade de Dublin (Irlanda).

Comentar

Código de segurança
Atualizar