Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Em Java, na Indosésia, vulcão entra em erupção e provoca fechamento do aeroporto e remoção de moradores.

Vulcão Kilauea entra em erupção e atinge dezenas de casas no Havaí - 06/05/2018

Moradores do Havaí foram alertados na quinta-feira (10) sobre os níveis crescentes de gás tóxico expelido pelo vulcão Kilauea e que áreas do leste da ilha estão em risco de serem engolidas pela lava.

Merapi é o vulcão mais ativo do mundo e está em nova erupção desde último dia 3.

O alerta foi enviado em mensagem de texto pelas autoridades do Condado do Havaí para os moradores do sudeste da ilha principal, informando que uma mudança de ventos poderia levar níveis crescentes de dióxido de enxofre, gás fatal se inalado em grandes quantidades.

“Por conta de ventos alísios decrescentes, os moradores estão aconselhados a monitorar suas sensibilidades a níveis aumentados de dióxido de enxofre”, dizia a mensagem.

O governador do Havaí, David Ige, afirmou que a retirada da população pode ser necessária se mais fissuras se abrirem e expelirem lava e gás em áreas residenciais da zona rural ao leste do vulcão.

Ontem, as autoridades completaram a remoção de produtos químicos altamente inflamáveis de uma usina elétrica que estava no caminho da lava.

Geólogos disseram que o Kilauea pode estar entrando em uma fase de erupções explosivas inédita em quase um século e pode arremessar “blocos balísticos”, pesando até 12 toneladas por 800 metros, disparar projéteis do tamanho de pequenas pedras por quilômetros e empoeirar cidades com cinza vulcânica e nevoeiro.

A área residencial de Leilani Estates permanece em maior perigo, com 15 fissuras vulcânicas e destruição de 36 casas e outras construções. Cerca de 2.000 moradores foram retirados do local. Como erupção progride, outras áreas também podem estar em risco, segundo o Observatório Havaiano de Vulcões.

  • Indonésia

O vulcão Merapi, no centro da ilha indonésia de Java, expeliu nesta sexta-feira (11) uma coluna de cinzas de até 5.500 metros de altura depois de entrar em erupção. O Aeroporto Internacional de Yogyakarta foi fechado, segundo fontes oficiais.

O porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres da Indonésia, Sutopo Purwo Nugroho, disse que a erupção ocorreu pela manhã e provocou a remoção dos moradores da área localizada a um raio de cinco quilômetros da cratera.

A erupção foi do tipo freática, que acontece quando a água acumulada na cratera ou abaixo de sua superfície, aquece por causa da proximidade da magma, lava ou depósitos vulcânicos. O resultado é uma explosão de vapor, rochas, areia e cinza vulcânica.

“A chuva de cinza ocorreu em vários lugares, especialmente no sul e no sudoeste da cratera do vulcão Merapi”, disse o porta-voz.

O Centro de Vulcanologia e Mitigação de Perigos Geológicos emitiu inicialmente um alerta vermelho de aviação, mas já o reduziu para o nível amarelo – dois abaixo – devido à brevidade da erupção.

Apesar da precaução especial durante o dia, a zona oficial de perigo é mantida em um raio de 3 quilômetros ao redor do vulcão, e os analistas da agência de gestão de desastres mantêm o nível mínimo de alerta.

 

Fonte: VEJA.ABRIL

Comentar

Código de segurança
Atualizar