Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Vênus, Júpiter, Saturno e Marte também podem ser vistos durante fenômeno.

Resultado de imagem para eclipse lunar

Nesta sexta-feira (27) acontece o eclipse lunar mais longo do século. Junto com ele, alguns fenômenos interessantes como a "lua de sangue" e uma visão melhor de Marte, que está bem próximo da Terra.

Mas também será possível observar outros planetas. Vênus, Júpiter, Saturno e Mercúrio também estão visíveis nesta época.

Saturno em imagem feita pelo telescópio espacial Hubble em 18 de julho de 2018 (Foto: NASA, ESA, Amy Simon and the OPAL Team, and J. DePasquale (STScI))

Saturno em imagem feita pelo telescópio espacial Hubble em 18 de julho de 2018

“Vários planetas estão visíveis a olho nu no céu: Vênus está visível a oeste após o pôr do Sol, Júpiter já está alto no céu quando o Sol se põe, Saturno está visível também no início da noite a leste. Marte que está em máxima brilhância e estará visível a leste logo no início da noite, um pouco mais alto que a Lua”, disse Josina Nascimento, pesquisadora do Observatório Nacional em nota.

Mercúrio esteve visível no último mês, mas já perdeu "força" e não é mais possível vê-lo com facilidade.

Mas como identificar cada um deles no céu? O astrônomo Marcos Calil, da Escola Parque de Conhecimento de Santo André (Sabina), explica que a pessoa pode se basear pela localização do pôr do sol.

"A lua vai nascer eclipsada no início da noite e você tem Marte ao lado dela. Subindo um pouco a visão, um pouco mais difícil de achar, é o planeta Saturno, de cor marrom. Subindo totalmente a cabeça temos Júpiter também de cor marrom. Do outro lado do horizonte, logo após o pôr do sol, um pouco acima do horizonte, tem um ponto prata muito brilhante que é Vênus. É isso que o pessoal vai conseguir ver durante a noite", explica.

Saiba como visualizar os planetas durante o eclipse (Foto: Karina Almeida/Arte G1)

  • Por que isso acontece?

Os planetas são visíveis a olho nu boa parte do ano, mas nem sempre é possível vê-los todos juntos em uma mesma noite. Isso acontece porque dependendo da posição deles no espaço em relação à Terra eles podem ficar "visíveis" quando ainda é dia por aqui e na luz do sol não há como enxergar planetas.

Em entrevista ao jornal britânico "The Express", David Reneke, da Mid North Coast Astronomy, descreveu o fenômeno de ver vários planetas em estreita proximidade como um "alinhamento planetário". Ele disse: "Ocorre quando vários planetas estão do mesmo lado do sol em suas órbitas, em relação à Terra".

Ter Mercúrio, Vênus, Júpiter, Saturno e Marte todos alinhados e visíveis durante um eclipse lunar é raro.

O caso de Marte é mais especial: "A aproximação da lua com planetas é comum, porém uma aproximação de uma lua eclipsada com um planeta que está muito próximo da Terra aí já é raro. Um momento muito bonito de ser visto", diz o astrônomo Marcos Calil, da Escola Parque de Conhecimento de Santo André (Sabina).

Segundo Calil, no dia 31 de julho teremos a maior aproximação entre a Terra e Marte. "Isso causa um efeito visual muito bonito de Marte. Ele fica com um aspecto bem avermelhado, forte no céu. Esse fenômeno, essa máxima aproximação, acontece cerca de 2 em 2 anos", explica.

Marte em imagem feita pelo telescópio espacial Hubble em 18 de julho de 2018 (Foto:  NASA, ESA, and STScI)

Marte em imagem feita pelo telescópio espacial Hubble em 18 de julho de 2018.

  • O eclipse

O eclipse lunar terá 1h42 de fase total e quase 4 horas de parcial. Para assistir, é só checar a hora que a Lua nasce na sua cidade e estar mais perto da costa possível, no leste do Brasil.

A melhor capital para assistir é Recife, mas João Pessoa vai poder começar a aproveitar apenas 1 minuto depois.

Um eclipse lunar total acontece quando Sol, Terra e Lua se alinham, quando nosso planeta faz uma sombra no satélite. Isso faz a Lua ficar escura, perder o brilho, e é um fenômeno que pode ser visto a olho nu.

O fenômeno começa às 16h30, mas a Lua não terá nascido no Brasil. Mesmo assim, vamos poder observar uma parte da fase total – quando o satélite está inteiro na sombra – e da fase parcial (umbra). É só esperar a Lua nascer. Tudo acaba às 19h19.

Como observar um eclipse lunar total (Foto: Karina Almeida e Alexandre Mauro/G1)

Fonte : G1

 

Comentários   

+1 #1 tovi 28-07-2018 21:58
eu vi tudinho !! obrigado pela informação !! :lol:
Citar

Comentar

Código de segurança
Atualizar