Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Projeto Kuiper: Amazon quer levar Internet banda larga para o mundo todo. A ideia é fornecer internet de alta velocidade e baixa latência por meio de satélites na órbita terrestre.

A Amazon tem planos de levar Internet de alta qualidade até para as partes mais remotas do mundo. O Projeto Kuiper tem como objetivo fornecer conexão de alta velocidade e baixa latência a países que não têm acesso básico à Internet de banda larga. Para isso, a empresa pretende lançar uma rede com cerca de 3 mil satélites na baixa órbita terrestre.

Ainda não há previsão para o início de desenvolvimento do projeto. Vale lembrar que empresas como Facebook, Google e Microsoft já anunciaram a intenção de disponibilizar serviços semelhantes para os próximos anos.

A Amazon promete levar cerca de 3.236 satélites na órbita terrestre, criando a chamada "rede de constelações". Dessa forma, a empresa pretende alcançar o máximo de países, entregando conexão em banda larga a 95% da população mundial. Segundo a ONU, estima-se que cerca de quatro bilhões de pessoas não possuem acesso à Internet no mundo.

A empresa ainda não divulgou como vai investir em seus satélites, ou quando começará a fornecer os serviços de banda larga espacial. Entretanto, a previsão é de que a marca vai gastar bilhões de dólares no setor. Apesar disso, o lucro esperado também fica na casa dos bilhões.

A proposta da Amazon vai de encontro às redes de Internet espacial de outras empresas, como o Facebook, que criou a Athena, o Google, com o Projeto Loon, e a Microsoft, com o Wi-Fly. Além disso, existe ainda a concorrência com as iniciativas de Elon Musk. Em 2018, o bilionário fundador da SpaceX enviou dois satélites ao espaço com a proposta de expandir a Internet ao redor do mundo.

Com relação à velocidade ainda não se sabe como o Kuiper vai funcionar. A rede da SpaceX, por exemplo, que ainda está em implementação, promete que cada unidade da constelação será capaz de oferecer taxas de 17 Gb/s a 23 Gb/s, valor bem alto em relação às tecnologias utilizadas atualmente.

Outro ponto que ainda gera dúvida é a respeito do planejamento da Amazon. A empresa não forneceu maiores detalhes do projeto como uma previsão de lançamento ou custos para o consumidor, por exemplo. Entretanto, analistas afirmam que o serviço pode levar cerca de uma década para começar a funcionar.

 

FONTE: techtudo

Comentar

Código de segurança
Atualizar